Troca de Frontal do Celular

Saiba tudo sobre troca de frontal celular

Se você é viciado nas redes e não larga o celular por nada, é comum que já tenha acontecido algum acidente e o seu aparelho tenha se danificado, infelizmente o aparelho celular não é muito resistente e é comum que após qualquer queda mesmo que simples acabe danificando o seu Smartphone, o problema mais comum com quedas é o vidro que se trinca facilmente, porém em alguns casos pode acabar danificando a tela inteira do aparelho.

Para saber se danificou a tela inteira, você deve notar se há manchas, e se o touch não funciona da maneira correta, caso isso aconteça o touch display do seu Smartphone está comprometido e você terá de fazer a troca do mesmo, é importante fazer a manutenção o quanto antes para que os problemas não aumentem e você tenha mais prejuízos, seguindo essa linha você também precisa saber que não é recomendado fazer em casa qualquer tipo de manutenção no seu celular pois você provavelmente irá danificar alguma peça do seu aparelho.

Você precisa saber a diferença entre touch e Display:

Touch: Sensor que captar os toques

Display: Imagem

São peças separadas em um conjunto, você pode danificar só o display ou só o touch.

Antes de fazer a troca do touch display de seu celular é importante se atentar á alguns detalhes, principalmente para a assistência técnica que deverá ser de confiança.

Troca-da-tela-frontal

Qual a diferença da Frontal Original e da Frontal Paralela

Visualmente não há muitas diferenças, mas a partir do momento que você começa a usar o aparelho já nota algumas mudanças, uma diferença que se nota é na questão do brilho do display, a frontal original possuí mais lucidez e é mais claro, a frontal paralela tende a ser mais escuro e normalmente tem um aspecto “manchado” como se tivesse uma sombra nele. Além da qualidade do toque do touch que a frontal original tende a ser mais sensível.

Pode ser também que a frontal paralela venha com o brilho no máximo e você não consiga alterar o brilho, isso causa um maior consumo de bateria e pode superaquecer seu aparelho, danificando outros componentes.

Outra diferença é na qualidade do produto, a frontal original é feito com capacitores de qualidade, todos os seus compostos são de alta qualidade e isso proporciona uma maior vida útil maior da tela, a original dura mais do que a paralela. Também tem a qualidade do vidro que é mais resistente sendo original.

E finalmente a maior diferença entre ambos é a qualidade do toque, a frontal original tem toques mais precisos e responde na hora, já o touch da frontal paralela muitas vezes você toca e ele não responde direito.

Quanto tempo leva para trocar

Se você levar para profissionais qualificados é um procedimento que não demora muito tempo e pode ser feito no mesmo dia, a troca é feita em uma hora, lembre-se sempre de levar em uma assistência técnica de confiança.

Como é Feita a Troca (Básico)

A Troca da tela do celular é feita em pouco tempo dependendo do modelo do celular , inicialmente o vidro ou tampa traseira do celular é aquecido, esse procedimento deve ser feito apenas por profissionais para evitar prejuízos, é usada uma soprador de ar quente para ajudar a soltar a cola, ela não deve ficar parada em um só local do aparelho se não irá danifica-lo, sempre esquentando em sentido circular sem deixar em um local fixo.

Abra o celular removendo os parafusos conforme o modelo do celular, muitas vezes atrás, para facilitar a remoção da tela é feita a retirada da tela aos poucos e com paciência, e após remove-la tome cuidado para não esquecer de desconectar o cabo flat.

Após isso deve-se conectar o cabo flat da tela nova, encaixar tudo certinho no celular, é feito um teste para ver se está tudo ok, caso esteja é feita a fixação da tela nova.

Cola utilizada

Existem diversos tipos de cola especial para uso em produtos eletrônicos, elas são:

  • Cola UV
  • Cola OCA
  • Cola B-7000
  • Cola T-7000

É Muito importante utilizar essas colas, são feitas especificamente para o uso de produtos eletrônicos e principalmente para celulares.

iphone quebrado

Conclusão

É Muito importante fazer a troca da tela de seu aparelho celular em uma assistência técnica especializada, evite levar em qualquer lugar para não ser surpreendido, é muito importante optar pelas telas originais pois são de melhor qualidade, duram mais, a qualidade da imagem é melhor, lembre-se o barato sai caro, se for optar pelas paralelas lembre-se que normalmente não é oferecido garantia por esses produtos e eles podem causar um aquecimento no seu celular e um aumento no gasto de bateria.

A Troca da tela pode ser feita no mesmo dia, é um procedimento complexo mas um profissional consegue executar sem problemas.

A empresa seu celular conta com os melhores preços baseados no mercado, além de qualidade de serviço, qualidade de peças e técnicos treinados .

Fonte: https://seucelular.com.br

equipes

ACERGS é a grande campeã da Copa Brasil 2005 de Futebol B1

ACERGS é a grande campeã da Copa Brasil 
2005 de Futebol B1

A equipe gaúcha que corria por fora desbanca favoritos e acaba como melhor do ano

Mais um domingo (11 de dezembro) quente em Cuiabá, onde foi disputada a Copa Brasil de Futebol B1. Ajudaram aumentar a temperatura no Ginásio do CEFET os jogos de vida ou morte da repescagem, grupo de quatro times que disputavam duas vagas na Série A, e a final entre ACERGS e APACE da Paraíba.

As duas equipes tiveram campanhas semelhantes na primeira fase. A APACE acabou na liderança de seu grupo com sete pontos, já a ACERGS terminou a fase classificatória em segundo lugar, mas com seis pontos, apenas um a menos que a rival. Para chegar na disputa do título a equipe gaúcha enfrentou nas quartas de finais os mineiros da ADEVIBEL em um jogo conturbado e com muitos gols, que no fim a ACERGS venceu por 4 a 3. Na semi-final os gaúchos tiveram oportunidade de descontar a derrota de 2 a 0 para a AMC, do Mato Grosso, na primeira fase. Desta vez sobrou até troco, ACERGS 4 a 1.

Na final enfrentaram o time que é a base da Seleção Brasileira, a APACE, com estrelas como o goleiro Andreoni, Farias e Severino da Silva, mas equipe gaúcha contou com a genialidade do atacante Ricardo Alves, também da Seleção, que desequilibrou e garantiu a vitória e o título para o time do Rio Grande do Sul.

A equipe da AMC, que foi a melhor na primeira fase, ficou com o terceiro lugar ao derrotar o CESEC por 4 a 2. O artilheiro do campeonato foi João Batista da ADEVIBEL com 14 gols, seguido de pelo campeão Ricardo Alves que marcou 12 vezes. Caíram para a Série B as equipes da ADVIMS do Mato Grosso do Sul e LDVAC do Acre. 

Classificação final da Copa Brasil Série A

A Copa Brasil 2005 de Futebol B1 séries A e B é uma realização da ABDC em parceria com a AMC com apoio do Comitê Paraolímpico Brasileiro e Ministério do Esporte. 

Classificação Final – série A


1º lugar

ACERGS
2º lugarAPACE
3º lugarAMC
4º lugarCESEC
5º lugarADEVIBEL
6º lugarCEIBC
7º lugarUNICEP
8º lugarADEVIPAR
9º lugarCAP-BA
10º lugarAPADEVI
11º lugarADVIMS
12º lugarLDVAC

12/12/2005
ADVEG conquista título da Copa Brasil 2005
de Futebol Série B
Em uma disputa por pontos corridos com mais outras quatro equipes, o time goiano garantiu o primeiro lugar em uma campanha impecável ao vencer três jogos e empatar somente um. O time carioca da ADVC ficou na segunda colocação, com duas vitórias, um empate e uma derrota, e de quebra ainda levou o artilheiro do campeonato, Aerton Pessanha com 5 gols. Ambas equipes disputarão em 2006 a série A da Copa Brasil de Futebol.

Classificação final da Copa Brasil Série B 

1º lugarADVEG
2º lugarADVC
3º lugarASCEPA
4º lugarADVAM
5º lugarCCLBC
premiacao-1lugar-ibcapacepb1

CESEC feminino e APACE masculino ganham Copa Brasil de Goalball Série A

Pela série B ficaram com os títulos as equipes feminina da APACE e masculina do CETEFE

Foram mais de 80 jogos das séries A e B feminino e masculino em apenas três dias (16, 17 e 18 de Dezembro). O maior torneio de goalball do Brasil e um dos maiores do mundo, reuniu em Campinas, interior de São Paulo, 39 equipes de todas as regiões do país.

Série A
As finais foram disputadas no domingo (dia 18) e começou com o confronto entre as equipes femininas do CESEC de São Paulo e as cariocas do IBC. O time paulista não teve dificuldades para construir um elástico placar, principalmente pelo excesso de penalidades cometidas pelo time do Rio de Janeiro. No final as meninas do CESEC ganharam por 7 a 2 e garantiram o bi-campeonato. Na terceira colocação ficou a equipe do ICBC de Minas Gerais. A artilheira foi a mato grossense Márcia Vieira da AMC com 31 gols.

Na final masculina sobraram gols e emoção. Na disputa do título, se enfrentaram as equipes da APACE da Paraíba e a LMC de São Paulo. A equipe do litoral paulista saiu na frente e manteve durante boa parte do jogo a vantagem no placar, mas a persistência do time paraibano lhe garantiu uma heróica vitória de virada por 8 a 7, e conseqüentemente o título. O time paranaense da ASASEC ficou com o terceiro lugar da competição. Rômulo Dantas comemorou, além de comemorar o campeonato, também festejou a artilharia com 31 gols.

Série B
A disputa do título na categoria feminina foi através de pontos corridos. As meninas da APACE se deram bem e conquistaram tranqüilamente o acesso a série A em 2006. Em segundo lugar ficou o time B do Instituto Benjamin Constant. Na terceira colocação ficou o time do Mato Grosso do Sul, ADVIMS. Luzia da Silva além de ser a campeã também foi artilheira com 20 gols.

A final masculina da série B também foi cercada de muitos gols e emoção. A equipe do CETEFE de Brasília sofreu para vencer a equipe cearense da APEC, que saiu na frente, mas no final não conseguiu segurar o time do planalto central, final CETFE 13, APEC 10. O União Jundiaí PEAMA ficou com o terceiro lugar. A artilharia ficou com o cearense José Oliveira que marcou 34 gols.